Ola visitante, Clique aqui para conectar ao site

 Home   |   Blog PHD   |   Charges   |   Colunistas   |   Notcias   

ATENÇÃO COM SUA SENHA
Caso você tenha dificuldade com sua senha, peça uma NOVA. Se não receber uma nova, nos avise.

 Atualizado em 21-11-17 21h16min  |  Fonte: Hoje em Dia (MG) |  Qtd Leituras: 454
Maracanã: Do martírio à gloria dos cruzeirenses no Rio de Janeiro

Torcida celeste sofreu para entrar no estádio, mas viu insistência compensada por ótimo resultado

Com o passaporte para a decisão da Copa do Brasil de 2017 em mãos, o Cruzeiro mobilizou milhares de torcedores, que se organizaram em Minas Gerais e seguiram em grande caravana para o Rio de Janeiro, cidade-sede do jogo de ida da decisão contra o Flamengo.

Mas quem acha que a vida desse pessoal foi feita (só) de sombra, água fresca, praia, biscoitos Globo e mate no feriado prolongado está completamente equivocado. Teve isso também, avião sobrevoando a Praia de Copacabana com faixa alusiva à torcida estrelada, brindes distribuídos nas praias, e festa para os mascotes, Raposão e Raposinha.

Entretanto, apenas uma pequena e privilegiada parcela viveu o conforto da vida boa na Cidade Maravilhosa. Já a maioria, justamente no 7 de setembro, dia que marcou os 195 anos da Independência do Brasil, viveu a experiência e sentiu na pele que o torcedor visitante no país ainda é um escravo da burocracia e da violência.

Desde o momento em que os primeiros ônibus chegaram ao Rio de Janeiro – cerca de 60 veículos se deslocaram de Minas Gerais ao litoral -, foi preciso muita paciência para lidar, principalmente, com a burocracia e truculência da Polícia Militar. Na maioria das vezes totalmente desnecessária, como a reportagem flagrou e tomou conhecimento por depoimentos de torcedores que se aventuraram nos quase 500 quilômetros entre a terra do pão de queijo` e a terra do Cristo Redentor.

O martírio da torcida cruzeirense começou por volta de 11h da manhã de quinta (7), já no estado do Rio. Alguns torcedores demoraram 15h para chegar aos arredores do Maracanã após deixarem a capital mineira na madrugada.

Houve uma longa espera nas proximidades da BR 040, no município de Três Rios (que fica aproximadamente a 130 quilômetros da capital), onde o Grupamento Especial Policiamento em Estádios do Rio de Janeiro (GEPE) faria inspeções e revistas em todos os ônibus e torcedores celestes. Depois de quase cinco horas para os ônibus serem todos revistados, mais problemas. Além do trajeto entre Três Rios e o Rio, quando os veículos estavam próximos ao Maracanã, por volta das 20h30, o torcedor precisou esperar ainda mais. E só adentrou ao estádio quando a bola já estava rolando, quando o relógio marcava quase o fim do primeiro tempo.

Ao fim do jogo, na hora de partirem rumo a Belo Horizonte novamente, um grupo do GEPE, que deveria orientar a saída dos ônibus, tornava esse procedimento ainda mais cruel.

Um dos policiais usava um cassetete e até acertava os ônibus ao gritar para os motoristas: ´Acelera essa porra aí, minhoca. Vamos embora. Não atrapalhe as coisas`.

Foi assim com pelo menos 20 ônibus, momentos flagrados pela reportagem e também denunciados por uma fonte ouvida pelo Hoje em Dia: ´A polícia deles é covarde demais. Ontem quando estávamos indo embora, saindo do estacionamento, os caras vieram vender água para os passageiros do ônibus. Fui pagar o ambulante, dei o dinheiro para ele e peguei a água, o vendedor também vendia pipoca. O policial o puxou pela camisa, o empurrou, deu um soco na pipoca do cara. Fiquei com dó demais. A pipoca caiu no chão, o cara foi pegar o pacote, mas o PM chutou o pacote longe e ainda chamou o ambulante de vagabundo. Fiquei revoltado com isso`, comentou.

Além desse episódio, a reportagem também flagrou um cruzeirense ensanguentado. Segundo o irmão do rapaz, um policial o agrediu com um golpe de cassetete na cabeça. A blusa azul do torcedor estava manchada de vermelho pela quantidade de sangue que escorreu da ferida muito evidente no rosto do rapaz. ´O policial ainda quebrou o celular dele, uma covardia. Não somos torcedores organizados, viemos com o pessoal da Cruzeiro Tour (transporte chancelado pelo Cruzeiro, feito por uma empresa de turismo que tem parceria com o clube)`, completou.

Mais espera

Não fosse o gol de empate marcado por Arrascaeta, que deixou tudo igual (1 a 1) aos 38 minutos do segundo tempo, o retorno dos torcedores azuis para casa seria mais doloroso. Mas, se antes da partida os flamenguistas levantaram um belo mosaico com os seguintes dizeres: ´Nós somos uma nação`, o Cruzeiro teve uma espécie de Ghiggia particular.

Arrascaeta calou a nação rubro-negra no Maracanã. Guardadas as devidas proporções ao real Maracanazo, em 1950, quando a Celeste Olímpica venceu o Brasil e faturou a Copa do Mundo de 1950.

´Saí de BH para calar 60 mil`, gritava o cruzeirense a pleno pulmões nas arquibancadas.

Ao menos uma espera não foi tão ruim, apesar dos pesares. Depois do jogo, um cordão de isolamento foi feito pela polícia no portão de saída dos visitantes, e os torcedores só foram deixar o estádio quando o fluxo de flamenguistas nas adjacências do Maracanã diminuiu. Praxe Brasil afora e que demorou quase duas horas após a partida.

Nesse momento, uma festa e tanto foi realizada. Com os portões ainda fechados, os torcedores cantaram alto. A partir do momento em que os portões foram abertos, uma explosão azul tomou conta do caminho até a saída do estádio.


-----------------------------------------------
*** Promoção Especial - Cruzeiro.Org 25anos ***

COMPARTILHE, RETUITE E COMENTE
as notícias e colunas do site Cruzeiro.org
( www.cruzeiro.org ) e concorra a um ingresso
para a decisão da Copa do Brasil
no dia 27 de setembro de 2017

O indicado será anunciado no dia 25 de setembro


/elo


Eliane Pessoa - Consultora RH

Comentrios:  Clique aqui e deixe o seu comentrio

 _vitor | Vitoria | 10-09-17 16h21min
PM sendo PM.. Triste cenário nacional.
 Twitter 

 Notcias   rss
20/11 - 07h30 [0 coment.]
Zagueiro Léo lançará livro ´A Quinta Estrela` sobre a CopaBr´17 

19/11 - 12h33 [1 coment.]
Sada Cruzeiro FA vira nos minutos finais e garante-se no Brasil Bowl 

19/11 - 11h46 [1 coment.]
Cruzeiro prossegue no Brasileiro em busca de melhor posicionamento 

18/11 - 17h37 [1 coment.]
Líder da Superliga, Sada Cruzeiro vence clássico citadino por 3 a 0 

17/11 - 19h32 [1 coment.]
Cruzeiro assegura três dos seus cinco patrocinadores para 2018 

17/11 - 08h26 [1 coment.]
Jogadores do Cruzeiro começam a se manifestar sobre salários 

17/11 - 07h19 [1 coment.]
Sub23 faz campanha pífia e é eliminado do Brasileiro de Aspirantes 

16/11 - 19h02 [1 coment.]
FMF demonstra toda a sua parcialidade na tabela do Mineiro´18 

>> Mais noticias
 Publicidade 


Cruzeiro.Org 1999-2017 - Site Oficial da Torcida - Contatos para Webmaster