Ola visitante, Clique aqui para conectar ao site

 Home | Noticias | Blog PHD | Charges | Colunistas | Competicoes | Especiais | 

Cruzeirenses pelo Mundo | Torcedor do Futuro | Servicos | Quem Somos 

*** AVISO - Se sua SENHA não estiver funcionando, peça uma nova que será enviada para seu e-mail - Se seu e-mail atual não estiver cadastrado, CADASTRE ***

 Acesso mais recente em 26-05-20 08h38min  |  Fonte: Hoje em Dia (MG) |  Qtd Leituras: 305
Crise: Gilvan relata como elevou a dívida em dois mandatos

Presidente do Cruzeiro entre 2012 e 2017, Gilvan de Pinho Tavares atraiu os holofotes nesta semana, em mais um capítulo da crise política e institucional que a Raposa atravessa.

Gilvan e mais um grupo de conselheiros que integram a associação denominada ´Pró-Cruzeiro Transparente` foram barrados na porta do Parque Esportivo do Barro Preto e não puderam ter acesso às dependências do clube.

Segundo o ex-dirigente, que é conselheiro benemérito da agremiação, a ordem partiu do atual vice-presidente do clube, Hermínio Lemos. ´Foi constrangedor (o episódio). Mas também senti um medo muito grande por parte das pessoas que fizeram isso. É de se lamentar muito que a situação tenha chegado a esse ponto`, disse, dando detalhes do ocorrido.

Entretanto, se foi vítima do caos político que o Cruzeiro vive, Gilvan de Pinho viu a dívida do clube triplicar durante sua gestão. Em 2012, quando tomou posse, a dívida do clube estrelado era de R$120,3 milhões; já no final de 2017, quando passou o bastão para Wagner Pires de Sá – atual mandatário celeste – o montante era de R$371,8 milhões.

Em entrevista exclusiva ao Hoje em Dia, Gilvan de Pinho Tavares justificou os gastos, afirmando que, de cara, teve que injetar verbas no departamento de futebol para evitar que o clube corresse risco de rebaixamento no Brasileiro.

´Quando assumi (a presidência), o clube já tinha essa dívida (R$120,3 milhões). É uma dívida que veio da gestão anterior, de Reffis, por exemplo. Durante meu mandato, peguei um clube sem time. Eu tive que montar um time completamente novo. Quando assumi, o Cruzeiro tinha acabado de escapar do rebaixamento, na última rodada, contra o Atlético (em 2011). Tive que montar um time inteirinho. Eu só tinha o Fábio e o Montillo. Queriam até que vendesse o Montillo para poder fazer receita, mas falei que primeiro precisava fazer um time, para depois vendê-lo. Quando consegui superar o péssimo momento do meu primeiro ano de mandato, em 2012, nós conseguimos, com contratações, sem investimento, com as chegadas de Tinga e Ceará, que foram muito úteis, não ser rebaixado`, relatou.

Em seguida, o ex-dirigente afirmou que passou a investir mais ainda na equipe, visando à conquista de títulos, o que teria onerado ainda mais o caixa do Cruzeiro. ´Quando chegou o final do ano, comecei a montar o time de 2013 e 2014. Aí tive que fazer investimentos para trazer jogadores e vendi o Montillo para montar aquele time fantástico que conquistou dois Campeonatos Brasileiros seguidos. Ai começou a crise do país. O Brasil começou a passar por um momento de crise terrível, e nós tivemos que pagar nossos investimentos, vendendo atletas que tinham valores econômicos para poder conseguir pagar`, disse.

Por fim, Gilvan citou a despesa gerada pelas obrigações advindas da adesão ao Profut (Programa de Modernização da Gestão de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro), que foi instituído pelo Governo Federal com o intuito de auxiliar os clubes a sanearem as dívidas com a União.

´Quando coloquei o Cruzeiro no Profut, juntando todos os Refis anteriores, tudo isso gerou essa dívida do Cruzeiro, que era em torno de R$212 milhões, se não me engano. Tudo isso já fazia parte da programação do Profut. Isso deu uma despesa mensal para o Cruzeiro, durante minha gestão, de R$650 mil por mês. Eu consegui em 2017, depois de equacionar as dívidas, montar de novo um elenco muito bom, que nos permitiu ganhar a Copa do Brasil de 2017 e ainda deixei para a administração atual do Cruzeiro aquela equipe que permitiu a eles ganharem o Campeonato Mineiro e a Copa do Brasil de 2018 e o Mineiro de 2019`, salientou.

/elo


Cruzeiro.Org - 25 anos

Comentários:  Clique aqui e deixe o seu comentário

 pyxis | BHZ | 14-09-19 23h01min
Gilvan ia até bem... sempre foi mal assessorado e conhecia pouco de futebol... aí resolveu se imiscuir com a política eleitoral partidária... ferrou a si mesmo e ao Cruzeiro.
Exlicações agora não me convencem.
E esta briga para limpar a C4G4D4 que fez e depois se arrependeu, SÓ PIORA AS COISAS.
 Twitter 

 Notícias   rss
15/05 - 04h28 [0 coment.]
COLAPSO: Ministério Público vê irregularidades além do normal

14/05 - 07h20 [0 coment.]
COLAPSO: Conselheiros avaliarão reformulação do Estatuto

13/05 - 18h31 [0 coment.]
COVID-19: Cruzeiro recebe autorização para retornar aos treinos

13/05 - 08h49 [0 coment.]
COLAPSO: Conselho Fiscal vai demorar a apreciar as contas de 2019

12/05 - 19h35 [0 coment.]
COLAPSO: Conselheiros excluídos terão direito a voto nas eleições

11/05 - 19h39 [0 coment.]
COLAPSO: Chapas para eleições em 21 de maio foram definidas

10/05 - 14h53 [0 coment.]
COLAPSO: Eleição será com cédula de papel e uso de máscara

09/05 - 06h43 [0 coment.]
Evandro anuncia a sua saída da equipe de vôlei do Sada Cruzeiro

>> Mais noticias
 Publicidade 


Cruzeiro.Org® Desde 1999 - Site Oficial da Torcida - ANO 21 - Contatos para Webmaster